Uma ideia brilhante para a corrida de Fórmula 1

O Grand Prix de Cingapura foi a primeira corrida de Fórmula 1 a ocorrer à noite. E ainda continua. As 61 voltas ou 308 quilômetros são percorridas sob luzes artificiais de alta potência.
1860x1050-story-formulaone

Quando falamos alta potência, falamos sério. As luzes de 2.000W podem fornecer 3.000 lux, o que equivale a 4 vezes a iluminação da maioria dos estádios. Os sistemas de iluminação maciça não são para o benefício dos 21 pilotos apenas, ou para os 84.000 espectadores, mas para as exigências das equipes de transmissão de TV.

E é feito da seguinte maneira: para o Grand Prix, 25 unidades de grupos geradores foram instaladas ao longo da pista de corrida funcionando a 500 kVA na potência principal. Essas unidades, alimentadas por motores Volvo Penta TAD1641GE de 16 litros, fornecem um total de 12.500 kVA (10mW) de eletricidade para iluminar a pista de corrida. Isso significa que há capacidade extra para redundância no caso de algumas unidades desligarem.

Os organizadores de um evento desse prestígio precisam confiar nos melhores fornecedores e melhores produtos disponíveis, nada deve dar errado. Isso indica a grande confiança que o Grand Prix de Cingapura tem na Volvo Penta.

Daniel Boberg

Business development manager, Volvo Penta

"Este é o quarto Grand Prix de Cingapura alimentado pela Volvo Penta", diz Daniel Boberg, business development manager dos Mercados Emergentes e Região Ásia Pacífico da Volvo Penta. "Os organizadores de um evento desse prestígio precisam confiar nos melhores fornecedores e melhores produtos disponíveis, nada deve dar errado. Isso indica a grande confiança que o Grand Prix de Cingapura tem na Volvo Penta. Estamos orgulhosos de que as coisas que fazemos melhor, qualidade e confiabilidade, estão lá para que o mundo inteiro veja."